Profissão simples dos frades João Vitor, Christian e Thiago

Aconteceu no último sábado (06), no Santuário Jardim da Imaculada, na Cidade Ocidental-GO, a Profissão Simples do Frei João Vitor Gomes da Fonseca da Silva (OFMConv.), Frei Christian César Silva Santos (OFMConv.) e Frei Thiago da Silva de Oliveira (OFMConv.) e a apresentação de cinco novos postulantes a casa de postulantado São Maximiliano Maria Kolbe. A Santa Missa foi celebrada pelo Ministro Provincial, Frei Gilberto de Jesus (OFMConv.) e concelebrada pelo Vigário Provincial, Frei Flávio Amorim (OFMConv.); pelo guardião e reitor do santuário, Frei Amilton Leandro (OFMConv) e demais sacerdotes presentes.

Durante sua homilia, Frei Gilberto falou sobre os votos simples - pobreza, obediência e castidade - e explicou o valor de cada um deles para a vida religiosa. O Ministro Provincial destacou a importância de viver a pobreza, como o próprio Cristo que nasceu na palha e morreu na cruz. Pobreza essa, que também São Francisco adotou pra si, despindo-se de todo luxo e riqueza. Falou também sobre a necessidade de os novos frades viverem a obediência como Jesus, que foi até as últimas consequências, até a morte e morte de cruz por obediência a Deus. Tal qual o Pobrezinho de Assis que nos mostrou que o voto de obediência não está ligado à escravidão, pelo contrário, é um voto de liberdade, de amor e confiança no Senhor. Por último, mas não menos importante, o frade pautou o valor da castidade pela capacidade de compreender e alcançar a pureza da alma. A castidade exige uma dedicação máxima de cada religioso e com a vivência desse voto, Francisco viveu a pureza de corpo e alma. Ele dizia que a água é casta e tudo que entra em contato com ela tornar-se-á puro também. Assim sendo, o religioso casto é capaz de transmitir essa pureza ao próximo.

Após explicar cada voto e a importância deles para o religioso, Frei Gilberto continuou dissertando sobre a vida em comunidade, disse que os votos trazem a exigência de que os frades se relacionem com o Deus e também com o seus irmãos. É uma vivência que exige uma vida plena com o Pai. Destacou ainda que, se Jesus vivenciou o sofrimento, os novos frades também devem vivenciar. Viverão a cruz de cada dificuldade em comunidade através do voto religioso. O frade terminou com o seguinte cumprimento: "Que vivam sua vida comum da melhor forma, como São Francisco viveu".

Além dos recém professos simples, estiveram presentes parentes e amigos, membros da terceira ordem, os irmãos das outras casas de formação e seus formadores e vice-formadores e alguns professos solenes. Após a celebração, houve um almoço fraterno.