NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS

“Viu-se um grande sinal no céu: uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos
seus pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça. Ela estava grávida”. (Ap12, 1-2)


Sabemos que a Virgem Maria sempre foi medianeira de todas as graças, mas somente
no dia 27 de novembro de 1830 a reconhecemos com o título de “Nossa Senhora das
Graças”.

 


Em uma capela parisiense, a humilde freira Santa Catarina Labouré recebeu a visita da
belíssima mulher, de rosto formoso, vestida na cor branco-aurora e coberta por um
véu azul. Ela lançava raios para todos os lados, cada qual um mais belo que o outro.
A Santíssima Imaculada surgiu sobre um globo da Terra, pisando na cabeça da
serpente, num sinal de oferecimento do mundo a Deus. Em seguida disse: “Fazei
cunhar uma medalha conforme este modelo. Todos os que a usarem, trazendo-a ao
pescoço, receberão grandes graças. Estas serão abundantes para aqueles que a
usarem com confiança”.
Formou-se então, em volta dela, um quadro com as palavras escritas em ouro: ‘Ó
Maria concebida sem pecado, rogai por nós, que recorremos a Vós’. Assim, os raios
representavam as intenções levadas a Virgem.
Poucos anos depois da aparição, uma terrível epidemia de cólera atingiu a cidade da
França. Assim, foram distribuídos aos enfermos os primeiros exemplares da medalha.
Não demorou muito para serem testemunhados milagres alcançados a partir de sua
devoção. O acontecimento motivou a chamarem de “Medalha Milagrosa”.
Lembremo-nos que o uso da medalha não se refere a um amuleto de sorte, mas um
símbolo de fé, amor e confiança na misericórdia de Deus por meio de Nossa Mãe
Santíssima.

Mesmo que a história da aparição se assemelhe aos tempos atuais, por se tratar de
uma epidemia, não devemos recorrer a Nossa Senhora somente em meio às mazelas
do mundo.
Devemos entregar nossa vida diariamente nas mãos daquela de durante anos segurou
o Menino Jesus. A Santíssima Virgem deve estar constantemente em nosso peito,
coração, em nossas escolhas e anseios.
Que através da devoção a Medalha Milagrosa e a aparição a Santa Catarina de
Lauboré, sejamos verdadeiros filhos íntimos de Nossa Senhora, agraciados por sua
bondade e doçura. Assim seja, amém!

 

assinatura aline